a experiência psicodélica

O que é uma experiencia psicodélica?

A experiência psicodélica é caracterizada pela percepção de aspectos mentais originalmente desconhecidos por parte do indivíduo em questão. Os estados psicodélicos fazem parte do espectro de experiências induzidas por substâncias psicodélicas. Neste mesmo campo de estados, encontram-se as alucinações, distorções de percepção sensorial, sinestesia, estados alterados de consciência e, ocasionalmente, estados semelhantes à psicose e ao êxtase religioso.

Nem todos que experimentam drogas psicodélicas (como o LSD e psilocibina) têm uma experiência psicodélica. Além disso, muitos alcançam estados alterados de consciência através de outros meios, como pela meditação, yoga, privação sensorial, etc.

Um dos ícones mais importantes da contracultura e defensor do LSD, Timothy Leary, tentou criar uma escala para avaliar o nível das experiências, baseando-se no Livro Tibetano dos Mortos, um antigo texto religioso que lida com a natureza da realidade e da mente. Leary traduz os os 5 niveis da experiência psicodélica, que são os seguintes :

Nível 1:
Este nível produz um leve efeito entorpecente, com algumas mudanças no campo visual (como cores mais brilhantes, vivas). Algumas anomalias na memória a curto prazo podem ser percebidas. A comunicação entre os hemisférios direito e esquerdo do cérebro é alterada, fazendo a música soar mais “extensa”.

Nível 2:
Cores vivas e efeitos visuais (as coisas começam a se mexer e a “respirar”). Alguns padrões visuais em 2D ficam aparentes quando os olhos estão fechados. Pensamento confuso, reminiscênte, rápido. A mudança da memória a curto prazo leva à distrações com os efeitos visuais em 2D. Um grande aumento da criatividade se torna aparente tão logo que o “filtro natural” do cérebro é ultrapassado.

Nível 3:
Efeitos visuais bastante óbvios, com objetos dando a impressão de que são curvos. Alguns padrões visuais e efeitos de caleidoscópio podem ser observados em paredes e rostos de outros. Algumas alucinações medianas, como um “rio flutuando no carpete” ou superfícies aperoladas. Alucinações de olhos fechados se tornam tri-dimensionais. Confusão nos sentidos é notada (“ver” sons como cores, etc.). Distorções no tempo e “momentos de eternidade”.

Nível 4:
Fortes alucinações, como objetos se transformando e morfando em outros objetos. Destruição ou ruptura do ego (“coisas” começam a conversar e sentimentos contraditórios são sentidos). Perda parcial da realidade. O tempo se torna sem significado. Experiências fora do corpo e mistura completa dos sentidos.

Nível 5:
Total perda da conexão visual com a realidade. Os sentidos param de funcionar na maneira usual. Total morte do ego. O ser se fundi, almaga com o espaço, objetos ou com o universo. A perda da realidade se torna tão severa que explicações não são mais necessárias. Os outros níveis são relativamente fáceis de se explicar em termos quantitativos na mudança de percepção e padrões de pensamentos. Este nível é tão diferente dos demais que o universo no qual as coisas são normalmente percebidas não mais existe. Iluminação Satorini, Nirvana ou outros rótulos

As experiências mais comuns são :

1 : Ser projetado a um vazio imenso ou dimensão paralela repleta de seres e lugares estranhos com características nunca vistas ou mesmo possíveis de ser imaginadas por um ser humano.

2 : Ser projetado ao “hiperespaço” na velocidade da luz. Experiências místicas como encontrar a si mesmo contemplando a criação de uma nova constelação ou uma galaxia, ou até mesmo o universo.

3 : Viajar pelo hiperespaço na velocidade da luz e ao mesmo tempo ver tudo a sua volta em forma de mosaicos, mudando de cor e de forma gradativamente.

4 : Encontros com entidades “inteligentes”, durante experiências descritas como nos números 1, 2 e 3. Desde elfos mecânicos até cowboys do espaço, as entidades inteligentes oscilam entre criaturas de contos de fadas, como humanóides, insetos gigantes e seres indescritíveis, como esferas de energia flutuantes.

5 : Entidades inteligentes tentam se comunicar com o usuário por meio de padrões de imagens, sinais e mensagens. As vezes, a entidade leva o usuário a um determinado lugar para tentar transmitir uma mensagem, ensinar a ser uma pessoa melhor, ou ensinar canções e mantras que alteram os elementos ou condensam a energia.

Estes estados extremos as vezes são acompanhados de sons, que vão desde um profundo estrondo a ruídos sutis. Apesar de totalmente imerso na experiência, os usuários de DMT permanecem alertas ao longo da experiência, sendo capaz de pensar com clareza, razão logica e manter a consciência de que ele esta de fato ali. Terence McKenna, um outro grande entendido do assunto, uma vez disse que a vida é como uma mandala gigantesca, e cada substância impulsiona você para um determinado lugar nesta mandala. todo lugar é cheio de coisas com características diferentes e manifestações do grande espetáculo da vida.

Tome cuidado e desfrute de suas experiências!